PROVISÓRIO

Divagações e delirios

Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Maravilha!!!

Posted by provisorio em Dezembro 17, 2006

De facto é uma alegria.
Então o homem larga a tenda porque arranjou uma estrangeirinha com o patrão, e fica a receber uma pipa de massa por dois anos, assim, sem saber ler nem escrever?
De facto é o País (?) que temos.
Como dizia a minha avó, “Para quem não tem vergonha, todo o Mundo é seu”

Posted in Uncategorized | 27 Comments »

Diário de Natal

Posted by provisorio em Dezembro 17, 2006

10 Dez 1963

Começa á quadra do Natal.
Levanto-me cedo para ir para a escola. No caminho começam a ver-se alguns ornamentos de Natal, marcando a festa que se aproxima.
Chego à escola, e começamos os preparativos para a festa Natalicia. Os enfeites, as canções, histórias, tudo visando aquilo o que o Natal realmente significa: o nascimento de Jesus menino. À medida que os dias vão passando, cresce a ansiedade da pequenada, pensando e sonhando com o que eventualmente o Pai Natal irá trazer: aquele carrinho que se viu algures, um comboio, uns jogos didaticos, os sempre legos, e quem sabe uma espingarda de rolha, ou uma pistola de fulminantes.
Aproxima-se o Natal.
As ruas da cidade lá se vão vestindo apropriadamente de forma simples, bonita e alegre. Alguns sinaleiros trajam à Pai Natal, sente-se uma atmosfera diferente, diria mais acolhedora. Será talvez tempo de reflexão.
Véspera de Natal. Noite Santa dizem alguns. Avós, tios e primos vêm cá a casa. È festa. Confraternização familiar, talvez a unica noite em que é permitido à pequenada deitar-se mais tarde. Não muito, pois o Pai Natal virá durante a noite, colocar os presentes no sapatinho ao pé do pinheirinho de Natal.
Lá fora, a cidade ficou deserta, apenas movimentada pelas luzes e enfeites simples que a ornamentam.
È Natal, dizem todos, e dizem-no com convicção e alegria. È Natal, canta-se.

5 Novembro 2005

Abre o comércio de Natal.
Levanto-me cedo, para ir trabalhar. No caminho, lembram-me no rádio que apenas faltam 50 dias para o Natal. Desejam-me optimas festas e aconselham-me: Compre isto, ofereça aquilo, compre agora e pague no próximo ano. Pelas ruas começam a aparecer, não ornamentos, mas cartazes e placards alusivos ao Natal, aconselhando sempre, que se compre algo. Sempre de primeira necessidade e da melhor qualidade.
Chego ao escritório e ouço, que fulano tem que comprar uma play station para o filho, cicrano um home cinema, para as noites frias que se aproximam, um telemóvel xpto da 5ª geração, um plasma um isto um aquilo. A quem vou oferecer o que? ouve-se. Enfim, conversas complicadas de quem parece estar em apuros por não saber o que fazer a tanta coisa que há para comprar.
Os dias vão passando e as ruas da cidade enchem-se de mais e mais publicidade, as estações radiofónicas bombardeiam com trechos interminaveis de ofertas publicitárias de tudo e de nada. Interessa sim, o mais possivel que se compre. Não interessa para quê, mas que se compre. Começa a sentir-se uma atmosfera diferente. As ruas, os centros comerciais, enchem-se de gente apressada, que tem que chegar não se sabe onde, em primeiro lugar, não vá o que não se sabe o que comprar esgotar-se, de gente que se atropela, de gente que utiliza horas para encher o carrinho de compras, o automóvel, daquilo que precisa, do que não precisa e do que qualidade não tem, mas “é barato!” e “deu na T.V.”. Mas é Natal, e é obrigatório que assim seja.
E eis que chega a véspera de Natal, a noite de ver o se recebe e o que se deu. As familias lá se juntam. Convivem é verdade. Mas é a tradição. Os Avós, os Tios já não vêm. Estão velhotes. Ficam melhor lá no lar. Já la têm o seu hambiente e as suas amizades. Provavelmente não se sentiriam muito bem, aqui na confusão.
E lá se passa a noite, há dois meses esperada. Há agora que pensar no que comprar para festejar o final do Ano.
È Natal. È sim. Mais um que está passado.

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

As cheias

Posted by provisorio em Novembro 27, 2006

Hoje no noticiario rádiofonico da manhã, relativamente aos temporais dos ultimos dias, e consequentes cheias, que se têem verificado, comentava-se que as condições climatericas em Portugal, no que respeita ao Inverno, se têem cada vez mais, vindo a alterar, oscilando ciclicamente, em anos de seca extrema com anos de chuvas e temporais. Dizia-se tambem, que Portugal, deverá diligenciar no sentido de se implementarem soluções para armazenamento de água, acautelando assim, os periodos de seca.
De facto, uma ideia luminosa que me deixou um tímido sorriso nos lábios, pensando que com mais dois ou três estadios de futebol, e o futuro funcionamento do TGV, a situação ficará perfeitamente resolvida.

Posted in Uncategorized | 4 Comments »

Iniciando

Posted by provisorio em Novembro 1, 2006

Começa hoje o meu blog. Nele, como o seu titulo indica, será  meu publico espaço para dissertar sobre o que me der na real gana, de acorodo com o meu estado de espirito do momento.

Começa hoje o meu blog. Há já algum tempo que ando para construir (dir-se-á correctamente assim?) um. Tenho vindo a adiar não consigo muito bem perceber porquê. Falta de tempo? Talvez não. Preguiça? Talvez não tabem. Quando descobrir direi.

Começa hoje o meu blog. Parece-me que gosto dele. Pelo menos interessante tem sido construi-lo. Não que seja alguma tarefa por ai alem, mas até k me diverte.

Começa hoje o meu blog e acaba agora esta pequena introdução. Amanhã ou depois ou kuando me der na veneta, venho cá divagar um pouco. Fiquem bem

Posted in Uncategorized | 2 Comments »